Busca
Como Investir - O Portal de Educação Financeira da ANBIMA

 Semana ENEF, um “intensivão” de educação financeira 

21/5/2017

 
A quarta edição do evento, organizado pelo Comitê Nacional de Educação Financeira (Conef), ocorreu na primeira quinzena de maio



Pela quarta vez, um verdadeiro “intensivão” de educação financeira ocorreu em maio por todo o Brasil. Entre os dias 8 e 14, milhares de eventos – milhares mesmo! – destinados aos mais diferentes públicos foram realizados nos mais variados espaços, durante a Semana Nacional de Educação Financeira. Com o objetivo de divulgar a Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF), uma política pública lançada em 2010 visando dar educação financeira e previdenciária à população, a iniciativa é organizada pelo Comitê Nacional de Educação Financeira (Conef), formado por órgãos como Ministério da Fazenda, Ministério da Educação, Banco Central, Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Superintendência de Previdência Complementar (Previc), Superintendência de Seguros Privados (Susep), além da ANBIMA – Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais, que mantém o Como Investir, a B3 (Brasil, Bolsa, Balção) e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Desde 2014, quando a primeira Semana ENEF foi realizada, o alcance da iniciativa se multiplicou muitas vezes. Na primeira edição, 170 atividades temáticas foram realizadas em 17 estados e no Distrito Federal. No ano passado, a proporção já era outra: foram mais de 1.000 ações presenciais e online, organizadas por 153 instituições, mobilizando cerca de 1,3 milhão de pessoas em 458 municípios. O balanço da edição de 2017 ainda não foi fechado, mas a abrangência já se mostrou muito maior – afinal, foram 2.824 eventos realizados em 26 estados e no Distrito Federal. Considerando que alguns eventos aconteceram mais de uma vez durante a semana, a agenda oficial somava 3.844 atividades presenciais e online.

Não é à toa que, durante a Semana ENEF, a educação financeira vira tema de conversa frequente entre os brasileiros. Uma análise dos dados compilados pelo Google Trends – ferramenta que mostra quais são os termos de busca mais populares no Google – indica que, nos últimos cinco anos, os períodos em que o termo “educação financeira” mais foi procurado sempre coincidiram com as épocas em que foram realizadas as Semanas ENEF. Veja o gráfico

"A Semana ENEF vem crescendo num ritmo muito satisfatório, ano após ano. Mais pessoas estão sendo impactados por ações de educação financeira e tendo a oportunidade de olhar para a sua vida e entender o que pode ser ajustado”, afirma Ana Leoni, superintendente de educação da ANBIMA. “Cidadãos bem informados fazem escolhas mais conscientes”. Além de participar da organização do evento por meio de sua atuação no Conef, a ANBIMA ofereceu palestras para universitários, público já cativo da entidade. Foram mais de uma dezena delas, realizadas em diversas universidades de São Paulo e região. “Acreditamos que esses jovens, quando são abordados ainda quando estão dando os primeiros passos na carreira e na construção da família, são bons multiplicadores da informação em casa e no círculo de amigos”, explica Ana.

Uma característica marcante da edição de 2017 da Semana ENEF foi a pluralidade de canais utilizados para a comunicação com o público. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), por exemplo, realizou diversas ações presenciais, mas apostou também em programas de televisão, em redes sociais (como YouTube e Facebook) e em palestras online. “É gratificante ver a consolidação dessa iniciativa e perceber que aquele projeto iniciado em 2014, com a primeira edição, segue ganhando corpo e tornando-se maior, além de mais representativo e abrangente”, afirmou Leonardo Pereira, presidente da CVM, na cerimônia de abertura do evento.


Avaliação:
Deixe seu comentário
Nome  
  E-mail   
Comentário  
500 | Máximo 500 caracteres



Copyright © 2009 - Todos os direitos reservados

Licença Creative Commons

© Como Investir. O conteúdo do site Como Investir está protegido pela licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-Sem Derivados 3.0 Não Adaptada. Você está autorizado a reproduzir o conteúdo, desde que cite a fonte original, não edite ou altere as informações e não faça uso comercial delas. Por favor, consulte o site da Creative Commons para verificar as condições legais para utilização do conteúdo.