Busca
Como Investir - O Portal de Educação Financeira da ANBIMA

 Ações da Semana ENEF atingiram do Norte ao Sul do país 

21/5/2017

 
Mais de 80% dos eventos foram realizados fora do tradicional eixo São Paulo-Rio de Janeiro-Distrito Federal.

Uma característica que tem se tornado mais evidente a cada nova edição da Semana Nacional de Educação Financeira – a Semana ENEF – é a descentralização dos eventos. Estando presentes nos pontos mais distantes do mapa do Brasil, as entidades organizadoras e participantes conseguem atingir um público que costuma ter acesso a menos oportunidades de aprendizado sobre finanças pessoais.

Os números da edição de 2017 impressionam. Das iniciativas cadastradas na agenda oficial da Semana ENEF, um total de 3.000 foram eventos presenciais – e mais de 80% deles ocorreram fora dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro e do Distrito Federal, que compõem o circuito mais usual de acontecimentos do tipo.

Uma das entidades que mais promoveu eventos no interior do país durante a Semana ENEF foi o Sebrae, que organizou a Semana do Microempreendedor Individual (MEI) no mesmo período. A entidade promoveu um total de 1.200 ações nas Semanas ENEF e no MEI. “O fato de ocorrerem de forma simultânea acabou sendo um reforço nas ações, pois as equipes do Sebrae se mobilizaram totalmente e conseguiram conciliar eventos voltados para as duas iniciativas”, explicou Alexandre Comin, gerente de Acesso a Serviços Financeiros do Sebrae Nacional. Um exemplo foi um mutirão de renegociação de dívidas on-line dedicado aos MEI – a iniciativa conciliou tanto orientações de educação financeira quanto apoio aos microempreendedores brasileiros.

Com 700 agências de atendimento no país e mais de 5.000 funcionários (além de 8.000 consultores e instrutores credenciados), o Sebrae conseguiu fazer palestras e workshops até mesmo nos menores estados – como Roraima e Acre. “Os empreendedores estão em todos os municípios e muitas ações são mais efetivas quando realizadas presencialmente”, explica Comin. “As oficinas Sei Controlar Meu Dinheiro, por exemplo, são uma solução que temos aplicado em todo o Brasil, ajudando os empresários a controlar melhor as suas finanças com ferramentas como o fluxo de caixa”.

Em outros estados distantes da área central do país, como Rondônia, quem conseguiu chegar foi a Planejar – Associação Brasileira de Planejadores Financeiros. Em parceria com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a entidade realizou um total de 131 eventos durante a Semana ENEF. “Em Cacoal e Rolim de Moura, cidades de Rondônia, nós contamos com a presença de quase mil pessoas. Em Caxias, no Maranhão, foram 280 pessoas. E só em Teresina, no Piauí, foram realizados sete eventos”, destacou Graziela Suman, vice-coordenadora da Comissão de Conscientização Financeira da Planejar. “Há carência de informação sobre finanças pessoais nessas regiões”.

Para viabilizar a empreitada, a Planejar começou cedo. Em janeiro, convidou todos os planejadores financeiros que certifica (com a certificação CFP) – a participar como voluntários. Nada menos que 126 deles se envolveram. Nos meses seguintes, todos receberam um treinamento online e material padronizado para realizar as palestras. O tema foi o mesmo em todo o país: conscientizar a população sobre a importância do planejamento financeiro para a vida, mostrando que objetivos e sonhos podem ser alcançados se as pessoas tiverem as finanças em dia. O público participante foi o dobro do registrado pela Planejar na edição de 2016. “Todos ganham com a Semana ENEF. As pessoas transformam suas vidas e nós, planejadores financeiros, entendemos melhor o potencial da profissão”, ressaltou Graziela.

Avaliação:
Deixe seu comentário
Nome  
  E-mail   
Comentário  
500 | Máximo 500 caracteres



Copyright © 2009 - Todos os direitos reservados

Licença Creative Commons

© Como Investir. O conteúdo do site Como Investir está protegido pela licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-Sem Derivados 3.0 Não Adaptada. Você está autorizado a reproduzir o conteúdo, desde que cite a fonte original, não edite ou altere as informações e não faça uso comercial delas. Por favor, consulte o site da Creative Commons para verificar as condições legais para utilização do conteúdo.