Busca
Como Investir - O Portal de Educação Financeira da ANBIMA

 Ano sabático pede planejamento e desapego 

3/3/2010

 
Momento de renovação da vida pessoal e profissional deve ser pensado com antecedência

O melhor jeito de pagar suas compras

Dar um tempo ou dar-se um tempo é prática cada vez mais constante entre executivos, profissionais liberais ou mesmo quem deseja dar um novo curso à vida. O ano sabático é aquele período de suspender as atividades, dar uma parada nos condicionamentos e reorientar o relógio da vida e da profissão. Com planejamento financeiro e antecedência fica mais fácil e seguro, é o que dizem os que já passaram pela experiência e os especialistas financeiros.
A consultora Maria Eugênia Estievano planejou um ano sabático com pequenas viagens curtas, de modo a não comprometer seu orçamento. “Cinco viagens curtas para cinco diferentes regiões do país podem proporcionar experiências culturais diversas tão proveitosas quanto uma viagem para o exterior”, diz Estievano, que considera o ano sabático uma forma para reaprender a lidar com o tempo, desvinculando-o do consumo.
Já o terapeuta Fábio Novo, que optou por um longo período sabático de três anos, alugou seu loft na Vila Madalena para uma escola de yoga. Com o valor mensal do aluguel, custeava parte das suas viagens por diversos lugares do globo. Na volta, além de ter o imóvel garantido, compartilhou o espaço com a mesma escola, integrando seu trabalho ao de outros profissionais.
Antes da viagem, no entanto, Fábio vendeu carro, casa na praia e todos os seus bens pessoais. Uma vida mais modesta, em consonância com suas buscas internas, também o ajudou nesse período sabático. “Saí com uma mochila e meu desejo de romper com o estilo de vida que levava”, afirma.

Reserva de pelo menos três meses

“O ano sabático deve ser planejado com muita antecedência e com muito desapego”, diz o consultor Luiz Simões, da Fipecafi. “Não adianta deixar o carro na garagem se depreciando, com taxa de IPVA para pagar e perdendo os juros de uma aplicação que poderia ter se vendesse o veículo”, ensina. É preciso coragem para tomar decisões.
A volta é mais traumática para os que não se planejam financeiramente de forma adequada. Quem estiver empregado, pode tentar uma licença no trabalho, se achar conveniente. “Para os que se demitem para o sabático, aconselho a ter reservas para pelo menos três meses, com uma quantia que garanta o pagamento dos gastos básicos, porque em alguns setores a contratação pode demorar”, afirma o consultor Luiz Simões, que também passou pela experiência do sabático. “Eu fiz um semestre sabático, é uma prática muito boa, de renovação pessoal e das perspectivas. Quando saí para a viagem já havia três anos de preparação, sabia quanto custava o aluguel na cidade onde ia morar, o preço do carro usado”, conta. Nesses preparativos, é aconselhável encontrar alternativas de estilo de vida mais em conta, para não estourar o orçamento no primeiro mês. Para quem escolhe a Europa como destino, entretanto, Simões aconselha a compra de uma bicicleta como forma de transporte barata e sustentável.

Do mercado financeiro para o terceiro setor

Rodrigo Bandeira de Luna trabalhava como operador de títulos de países emergentes no mercado financeiro, uma atividade que considerava enriquecedora, porém exaustiva. Quando recebeu US$ 32 mil como bônus pelo trabalho, decidiu que a quantia seria usada na reorientação da sua carreira. Foi com esse dinheiro que partiu para seu ano sabático em Nova Iorque. “Estudei administração para o terceiro setor, trabalhei como voluntário, mas também consumi meu tempo com viagens, cultura, prazer”, relata. Na volta, com a segurança para iniciar uma nova vida profissional, a adaptação foi mais tranquila e ao mesmo tempo estimulante. “Muitas vezes trabalho tanto quanto antes, com a diferença de que agora me sinto mais realizado”.

Algumas dicas para os anos sabáticos:

- planejar com a maior antecedência possível
- vender bens de consumo, como carro e eletrodomésticos
- encerrar contas de energia, internet, TV a cabo, celular
- reduzir os gastos ao essencial
- entender o período como um redimensionamento do tempo, de forma que não esteja ligado a consumo
- não conferir extratos bancários com frequência
- garantir um valor mensal para a sobrevivência durante o período sabático
- conferir valores de aluguel, transporte e alimentação no lugar onde passará o período sabático
- optar por uma vida mais simples, já que o principal ganho é a transformação interna
- permitir experiências de produção pessoal, como escrever e fotografar
- ter dinheiro no bolso ao invés de cartão de crédito
- desprogramar, descondicionar, deixar de vez velhos preconceitos, hábitos e crenças


Avaliação:
Comentários postados (5)
Por: Araceli em 14/9/2013 às 23:14
Dicas legais
Por: Edivany Reis da Silva em 12/10/2011 às 19:03
Gostei muito do texto, com conselhos plausivos e praticos. Sonho um dia ter um período sabatico para me permitir atividades novas, completamente fora da minha rotina diaria apertada ... quero tempo para mim e também não fazer nada... isso tambem é bom! Viajar, correr mundo. Conhecer lugares, pessoas... Animador, muito animador! Obrigada pelas dicas excelentes.
Por: Flavia em 15/8/2011 às 22:34
Pessoal, muito legal esse artigo! Fez perceber q a vontade minha e do meu marido de parar tudo e viajar não é maluca... Obrigada!
Deixe seu comentário
Nome  
  E-mail   
Comentário  
500 | Máximo 500 caracteres



Copyright © 2009 - Todos os direitos reservados

Licença Creative Commons

© Como Investir. O conteúdo do site Como Investir está protegido pela licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-Sem Derivados 3.0 Não Adaptada. Você está autorizado a reproduzir o conteúdo, desde que cite a fonte original, não edite ou altere as informações e não faça uso comercial delas. Por favor, consulte o site da Creative Commons para verificar as condições legais para utilização do conteúdo.