Busca
Como Investir - O Portal de Educação Financeira da ANBIMA

 Série Derivativos: Conheça o Mercado de Swap - um importante instrumento do mercado financeiro 

8/3/2009

 
Entenda os conceitos básicos da modalidade que encerra a série sobre os Mercados Derivativos.

Swap significa troca. Essa é justamente a principal diferença entre o mercado de swap e os outros derivativos. O contrato consiste, segundo o Folheto Série Introdutória: Mercados Derivativos, elaborado pela BM&FBovespa, em um "acordo entre duas partes para troca de risco de uma posição ativa (credora) ou passiva (devedora), em data futura, conforme critérios preestabelecidos." Os swaps mais comuns são os de taxas de juro, câmbio e commodities. Os contratos são negociados em balcão e não são padronizados não havendo a possibilidade de transferência a outro participante nem antecipação do vencimento.

O swap é um instrumento muito importante para o mercado financeiro porque pode ser combinado com a emissão de um título e, dessa forma, viabilizar a troca da natureza da obrigação do tomador de empréstimos. Por isso é uma estratégia adotada pela tesouraria de grandes companhias, instituições financeiras e até pelo Banco Central.

No mercado de swap, os investidores negociam a troca de rentabilidade entre dois bens (mercadorias ou ativos financeiros), a partir da aplicação da rentabilidade de ambos a um valor em reais. Complicado? Veja os exemplos para facilitar: swap de dólar × taxa prefixada.

Sua forma de cotação é a diferença entre a taxa de juro doméstica e a variação cambial - o cupom cambial. O valor dos indexadores incide sobre o valor de referência comum acordado entre as partes.

- Posição da instituição A: vendida em dólar + cupom cambial; comprada em taxa prefixada.

- Posição da instituição B: comprada em dólar + cupom cambial; vendida em taxa prefixada.

Se, no vencimento do contrato, a valorização do dólar for inferior à variação da taxa prefixada negociada entre as partes, receberá a diferença, ou seja, a parte que comprou em taxa prefixada e vendeu em dólar. Nesse caso, é a instituição A. A liquidação da operação é essencialmente financeira e feita, conforme explicado, pela diferença entre os rendimentos no vencimento.

Algumas definições básicas:

- Contraparte: são os agentes que negociam o swap.

- Variáveis: preço ou taxa que será apurada ao longo de um período para valorizar o parâmetro.

- Valor de referência: valor inicial sobre o qual incidirá a valorização do parâmetro. Pode ser chamado de principal.

- Parâmetros: são as fórmulas para cálculo dos fluxos; formam o conjunto de informações responsáveis pela valorização do contrato.

- Prazo: período de duração do contrato de swap.

Fonte: Série Introdutória - Mercados de Derivativos - BM&FBovespa

Conheça os principais tipos de Swap

Swap de taxa de juro: contrato em que as contrapartes trocam indexadores associados a seus ativos ou passivos e uma das variáveis é a taxa de juro.

Exemplos

- Swap taxa de DI × dólar: trocam-se fluxos de caixa indexados ao DI por fluxos indexados à variação cambial mais uma taxa de juro negociada entre as partes.

- Swap pré × taxa de DI: trocam-se fluxos de caixa indexados a uma taxa prefixada por fluxos indexados à taxa de DI.

Swap de moeda: contrato em que se trocam o principal e os juros em uma moeda pelo principal mais os juros em outra moeda.

Exemplo

- Swap fixed-for-fixed de dólar × libra esterlina: trocam-se os montantes iniciais em dólares e em libras. Durante o contrato, são feitos pagamentos de juros a uma taxa prefixada para cada moeda.

Swap de índices: contrato em que se trocam fluxos, sendo um deles associado ao retorno de um índice de preços (como IGP-M, IPC-Fipe, INLPC) ou de um índice de ações (Ibovespa, IBrX-50).

Exemplo

- Swap Ibovespa × taxa de DI: trocam-se fluxos de caixa indexados ao retorno do Ibovespa mais uma taxa de juro negociada entre as partes por fluxos indexados a uma variação ao DI, ou vice- versa.

Swap de commodities: contrato por meio do qual duas instituições trocam fluxos associados à variação de cotações de commodities.

Fonte: Série Introdutória - Mercados de Derivativos - BM&FBovespa


Avaliação:
Comentários postados (12)
Por: Fabio Tagliavini em 7/2/2013 às 16:11
Fiz um copy e paste: - Posição da instituição A: vendida em dólar + cupom cambial; comprada em taxa prefixada.????? - Posição da instituição B: comprada em dólar + cupom cambial; vendida em taxa prefixada.????? O Coupom cambial é a diferença ou spread( como falam os do mercado) emtre o DI Futuro e o US Dolar , logo quem está comprado em coupom já está comprado em dolar e vendido em DI , não confundam quem está começando.
Por: Juan em 28/8/2012 às 10:03
Ótimo artigo. Aproveitando para complementar, gostei muito deste outro também: http://www.bussoladoinvestidor.com.br/especiais/o_que_e_swap_e_como_funciona-13,1.html Explica mais detalhado como o Swap pode ser utilizado para reduzir riscos.
Por: Friedrich Franz Paul em 30/7/2012 às 16:12
Não encontro nada sobre OPÇOES
Deixe seu comentário
Nome  
  E-mail   
Comentário  
500 | Máximo 500 caracteres



Copyright © 2009 - Todos os direitos reservados

Licença Creative Commons

© Como Investir. O conteúdo do site Como Investir está protegido pela licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-Sem Derivados 3.0 Não Adaptada. Você está autorizado a reproduzir o conteúdo, desde que cite a fonte original, não edite ou altere as informações e não faça uso comercial delas. Por favor, consulte o site da Creative Commons para verificar as condições legais para utilização do conteúdo.